Prus Mano: Comece se apresentando?

Mano Flér: Sou Emerson Carlos, mais conhecido no cenário como Mano Flér, comecei no rap em 1995, com o grupo Realidade Street, com os integrantes Paulinho, Leninho, Palmeiras e Eu. Sou de Londrina/PR. Sou maliano, já fui arte, educador na Secretária de Cultura em Londrina, fiquei muito tempo trabalhando lá dando aulas de MC’s. Em 2003 a gente criou o grupo Família IML, que era formado por mim (Mano Flér) e Palmeiras juntamente com o Paulinho do Consciência Humildade onde surgiu o grupo.

PM: Como foi seu contato com o mundo do Hip Hop?

Flér: Meu inicio foi como te falei Negão (risos), comecei em 1995 na Zona Norte de Londrina em uma escadinha a onde a gente fazia freestyle e beatbox, era eu, Paulinho, Lelinho e Paulinho B.boy, uns manos desistiram outros viraram evangélicos. Já em 2003 foi lançado o primeiro clipe do grupo IML, aí conheci o Melk e nos apresentou o DJ Samu, depois chamei o mano Thiago e já tinha sete irmãos cantando no IML.

PM: Qual é sua opinião sobre o Rap Nacional?

Flér: É o seguinte nós temos nossas opiniões, nós temos nossas conclusões, tudo que vejo na minha mente eu procuro fazer de maneira de provérbio, uma palavra que você escreve ela tem vários significados, ninguém é obrigado a respeitar minhas ideias isto é o risco de um cronista da favela enfrentar, não é irmão. Nós estamos ai botando a cara para bater, batendo nos falantes do Brasil inteiro com nossas ideias e Deus vem nos abençoando, talvez uma hora vá falar algo que alguém não concorde, mas é o risco.

PM: O que você pensa que falta ou acrescentaria no Rap Nacional atualmente?

Flér: Mais sinceridade nas palavras é a realidade de vida de ser e uma ideia real mais no rap de hoje.

PM: Fala um pouco da Baguá, sua gravadora?

Flér: A Baguá Records veio com os caras tipo assim que acreditaram no meu anonimato, eles viram meus corres. Tenho um contrato de cinco anos para mim é a maior satisfação. Nego meu crescimento eu agora só vivo e respiro rap, consigo pagar minhas contas e meu sustento, agora posso passar 24horas só rap. Ajudo minha família meus filhos, minha mãe através do rap.

PM: Com sua experiência, qual a ideia que você pode mandar para quem esta iniciando?

Flér: Tem que acreditar mesmo em você, se não investir em seu trabalho quem vai investir? Tem que ir para cima na caminhada, tem que se jogar e não ficar no estado só, tem que ir para vários estados conhecer vários lugares espalhar as ideias e se tornar conhecido. A segundo coisa que eu vou falar é que os grupos de rap nervoso é um grupo que ensaia todos os dias, tem que respeitar o próximo, não querer ser malandro demais e também não bobo, no jogo. Tem que acreditar que todos conseguem.

PM: Manda um salve para quem?

Flér: Deixo um salve a você Nego Mário a Banca Somos 1 Só, a todas as minas e a todos que apoiam o rap, deixo um abraço a gravadora Baguá que esta me ajudando, Família IML, Celebro Blindado, Pira Pura, aos irmãos do Paraná que faz o verdadeiro rap, todos e todas do Brasil que fazem o rap de verdade, vichi são muita gente para mandar um salve, então vou deixar poucos salve.

Tamo junto.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here